Pronomes relativos

P

Em nossas últimas publicações, abordamos alguns elementos capazes de garantir coesão à produção textual e, para fechar a nossa sequência de posts, trataremos, hoje, dos pronomes relativos. Vamos, então, compreender a função desses pronomes?

 

Pronomes relativos – substituem um termo da oração anterior, evitando repetição.

 

Para entendermos melhor, vamos observar a frase abaixo:

Essa é a enfermeira de quem falei.

Oração 1: Essa é a enfermeira

Oração 2: de quem falei.

 

O uso do pronome se dá para evitar que a frase fique repetitiva: 

Essa é a enfermeira. Eu falei da enfermeira.

 

Portanto, o uso do pronome relativo é fundamental para evitar que a sua produção textual apresente repetições de termos e que fique cansativa e, consequentemente, você evita problemas na compreensão do leitor.

É importante ressaltar que tais pronomes podem ser classificados em variáveis e invariáveis. Vamos conferir:

 

Pronomes relativos variáveis

São aqueles que sofrem flexão.

Masculino Feminino
o qual, os quais a qual, as quais
cujo, cujos cuja, cujas
quanto, quantos (antecedido de tudo, todos) quanta, quantas (antecedido de todas)

Ex.: Este é o carro do qual falei.

     Estes são os alunos cujos pais vieram reclamar.

 

Pronomes relativos invariáveis

Não flexionam.

onde que quem

 

Ex: Esse é o escritório onde moro. (Onde é sempre para lugar)

    Esta moça é a psicóloga de quem falei.

Então, fique atento ao uso dos pronomes relativos e evite a repetição. Isso vai te ajudar a garantir uma ótima nota na Competência IV.

Até mais!

Sobre o autor

Julio Sousa

Macapaense de nascimento e goiano de coração. Fundador dos sites Rumo ao ITA, Futuro Militar, Projeto Medicina e Sistema Zeus.

Por Julio Sousa

Leia também: