O que é sujeito indeterminado e oração sem sujeito

O

Se você conferiu o nosso post sobre sujeito determinado, já deve saber o que é sujeito e que ele possui algumas classificações. Entretanto, nem sempre é possível encontrar o sujeito de forma tão explícita, e é por isso que também existe o sujeito indeterminado e a oração sem sujeito. 

Então, o nosso post de hoje veio para te falar tudo sobre isso. E, para não restar nenhuma dúvida sobre esse assunto, vamos refrescar a sua memória um pouco! Bora lá?

Gif de um homem bebem um copo d'água e balançando a cabeça de forma positiva.

o que é sujeito e O QUE É oração? 

O sujeito é um termo essencial da oração que é definido como o ser sobre o qual se faz alguma declaração sobre. Já a oração é uma frase que, obrigatoriamente, é composta por um verbo ou locução verbal.  

Para entender melhor, vamos pegar o exemplo a seguir: 

A menina estudou muito ontem.”

Nesse caso, “a menina” é o sujeito da oração e o termo “menina” é o núcleo do sujeito. Além disso, como já vimos, se trata de um sujeito determinado porque é possível identificar, com precisão, quem é o sujeito. 

Ufa, agora que já passamos pelos conceitos básicos, vamos entender o que é sujeito indeterminado e oração sem sujeito.

Sujeito indeterminado

Como o próprio nome já diz, o sujeito indeterminado é aquele que não é possível identificar porque ele não está expresso na oração ou porque a desinência verbal não possibilita essa identificação. 

Ele ocorre nos seguintes casos:

1. Verbos na 3ª pessoa do plural

Quando a oração apresenta um verbo na terceira pessoa do plural (eles), não é possível identificar o sujeito dessa oração, por isso o sujeito é classificado como sujeito indeterminado. Veja os exemplos:

  • Disseram que ele vai viajar.
  • Falaram que haverá greve na universidade.
  • Prenderam a quadrilha. 

Ou seja, quem disse? Quem falou? E quem prendeu? Não é possível saber, a menos que estivesse explícito em orações anteriores ou posteriores. 

2. Verbos na 3ª pessoa do singular + “se”

Outro caso de sujeito indeterminado acontece nas orações que possuem o verbo na terceira pessoa do plural (ele) seguido do pronome “se”. Confira:

  • Precisa-se de profissional de Marketing.
  • Aluga-se apartamento.
  • Fala-se muito sobre violência.

3. Verbos no infinitivo pessoal

O terceiro e último caso de sujeito indeterminado ocorre com verbos no infinitivo pessoal. Isso quer dizer que são verbos que não se relacionam a nenhuma pessoa, apresentando sentido genérico ou indefinido. Veja a seguir:

  • Era complicado gostar de todos no escritório.
  • É legal assistir filme no cinema.
  • É triste saber dessas cenas trágicas.

Oração sem sujeito 

Já a oração sem sujeito, ou com sujeito inexistente, é aquela em que não é possível definir um sujeito porque ele não existe. Isso ocorre nos seguintes casos:

1. Verbos que indicam fenômeno da natureza

Quando o verbo exprime um fenômeno da natureza, como chuva, trovão, vento, etc. não existe sujeito na oração. Confira:

  • Choveu muito ontem.
  • Trovejou bastante nessa manhã.
  • Ventou muito no último domingo.

2. Verbos que indicam tempo decorrido ou fenômenos meteorológicos

Outro caso de oração sem sujeito ocorre quando os verbos “ser”, “estar”, “fazer” e “haver” são utilizados para indicar tempo decorrido ou fenômenos meteorológicos. Veja os exemplos seguir:

  • São cinco horas da manhã.
  • Está tarde!
  • Faz três anos que saí da universidade.
  • anos que eu não falo com ela.

3. Verbo “haver” no sentido de “existir”

Por fim, o último caso de oração sem sujeito acontece quando o verbo “haver” é utilizado no sentido de “existir”. Veja na prática:

  • Houve poucos inscritos no curso.
  • Havia muita gente na festa.
  • poucas flores no jardim.

Com esses exemplos fica mais fácil entender a classificação dos sujeito e distinguir o que é sujeito indeterminado e oração sem sujeito, certo? Mas você sabia que a oração é composta por sujeito e predicado? Então confira também o post do Projeto Redação sobre tipos de predicado para ficar por dentro de todos os elementos que compõem uma oração. 😉

Sobre o autor

Ana Massêo
Por Ana Massêo

Leia também: